Sétimo Dia de Viajem!

Sétimo Dia de Viajem!

Hot
  
1010   0   10   0   0
Comentários (0)

Depois de todo o ocorrido na noite anterior, acordamos bem cedo e para a nossa surpresa a cidade estava toda escura, parecia noite, começou a amanhecer perto das 09:00, pagamos a conta do hotel e partimos rumo a Salta pela RN16, não demorou muito, cerca de 20km para começarmos os perrengues do dia, muita chuva, frio, e estradas ruins, que foi só piorando, depois de uns 100km, encontramos um grande desafio, uns 3km de estrada em reforma total, foi lama, barro, pedras, para todos os lados, as motos balançaram muito, os dois acharam que iriam cair, e nessa hora, nem pensar em colocar o pé no chão, além de escorregar, ficaria atolado, seguimos o balanço das motos, com sorte conseguimos passar, o Bueno estava na frente, eu atrás, já com a viseira aberta, os caras que estavam no final da obra perceberam que eu era uma mulher, fizeram o maior escândalo, comeram a gritar, aplaudir, a falar várias coisas que não entendemos, só acenei com a mão, e seguimos viajem rindo muito.....rs

Saindo dessa pequena "grande" aventura pensamos que o pior já tinha passado, que nada, estava só começando a ficar ruim... Pegamos muito mais barro pela frente, uma chuva super forte, ventos que balançavam as motos constantemente, isso fora os caminhões, que eram dezenas, passando por nós, e jogando aquela onda de água, lama, e pedras, depois de 400km percorridos, estávamos imundos, nós e as motos, víamos quase nada, tremíamos de frio, com muita fome, em meio a várias cidades super pequenas, não teve jeito, paramos em Monte Quemado, primeiro abastecemos as motos, para o meu azar com gasolina adulterada, a moto começou a falhar a todo momento, e não ficava ligada em primeira marcha, ou abaixo dos 4 mil giros, foi um tormento, e dificuldade também, fora o banho que o menino de uns 10 anos deu em minha moto de gasolina, tirando a bomba e apertando o gatilho, foi gasolina para todos os lados, escorreu pela moto, lá fomos eu e o Bueno, tentar limpar/lavar a moto para tentar minimizar os efeito, mas percebemos que é uma prática normal, em praticamente 90% dos postos na Argentina, eles deixam cair gasolina sobre o tanque das motos, e se você não pedir para limparem, nem se dão ao trabalho.... Depois disso fomos em busca de um hotel, e comida, caímos no próximo erro, fomos no melhor hotel da cidade, mesmo assim muito ruim, sem condições mesmo, não somos frescos, estamos topando dormir em lugar simples, mas limpo, e com o mínimo de higiene que precisamos, decidimos almoçar primeiro, a comida foi estranha, um arroz amarelo, sem gosto, uma carne que não identificamos o que era, a salada estava boa, comemos desesperadente, pagamos pelo quarto e comida 300 pesos, e fomos para o nosso quarto, quando chegamos lá, era minúsculo, cheirava muito mal, era bem velho, chuveiro só com água fria, nem papel higiênico tinha, foi muito ruim, ficamos os dois sentados na cama, olhando o GPS, tentando achar uma saída, porque ainda estávamos a uns 300km de Salta, que seria uma cidade maior, mas não conseguiríamos chegar até lá antes de anoitecer, já passava das 16:00hs, e o tempo continuava muito ruim, mas nesse momento estávamos muito aflitos com aquela situação, e optamos por arriscar, carregamos as motos novamente, colocamos o resto da roupa molhada, e partimos, com certeza pior que aquilo não iríamos encontrar, nem pedirmos o dinheiro de volta, pois não queríamos dor de cabeça, simplesmente agradecemos, e partimos, não recomendo Monte Quemado para uma parada, nem para abastecer, muito menos para se hospedarem, um detalhe importante, estamos utilizando o Tripadvisor praticamente na viagem toda, e ele não dá nenhum opção dentro desse percurso de 800km, o que dificultou nossa escolha, e devido a todas as cidades serem muito pequenas. Se precisar abastecer em Monte Quemado, abasteça no segundo posto, que fica do lado esquerdo no sentido para Salta, o Bueno ao ver o banho de gasolina na minha moto, pulou na frente do menino e não abasteceu com a gasolina ruim, esperou passarmos pelo segundo e se deu bem...

Nesse segundo posto perguntamos e um rapaz nos disse que a 150km dalí tinha uma cidade maior, chamada Joaquin Gonzalez, e sem pensar muito partimos para lá, era caminho, e já tínhamos decidido que se lá fosse ruim, viajaríamos a noite, e chegaríamos até Salta, era um risco, mas naquele momento não tínhamos muitas opções.... Para piorar, comecei a ter uma indigestão com aquela comida estranha, por sorte a chuva parou, o tempo melhorou, e conseguimos parar no acostamento para respirar e aliviar a minha indisposição. O dia demorou para escurecer, chegamos a cidade ainda de dia, apesar de ser umas 19:30hs, errando o caminho para chegar no hotel q foi indicado num posto da cidade, encontramos por sorte um hotel muito simpático, fomos bem recebidos, saímos para comer perto do hotel, e na volta capotamos, depois de 600km, 500 deles em péssimas condições, estávamos exaustos, e com todas as emoções vividas, o corpo não respondia a qualquer estímulo para assistir TV, escrever, ou falar com os amigos no facebook, foi um dia super difícil, porém com vários aprendizados!!!!

Veja também:
- o relato do Bueno para este dia: "Dia 07, de Resistencia/CHO/ARG à Joaquín V. González/SAL/ARG".
- o relato do dia anterior: "Em solo Argentino, sexto dia!"
- o relato do dia seguinte: "Descansando em Tucumán no oitavo dia..."

Comentários dos Usuários

Não há comentários de usuários para este item.
Já possui uma conta?
Comentários
Powered by JReviews